A Confraria Coisas de Mulherzinha foi criada para reunir mulheres inteligentes, mas que também curtem as futilidades do universo feminino. Talentosas, mas que também são muito vaidosas. Mães, namoradas, filhas, esposas, solteiras, profissionais, poderosas e, acima de tudo, mulheres que não dispensam aquele bom "papo de mulherzinha" com as amigas!


   Cezandra Soares

  

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

VISITA MASCULINA NO BLOG DA CONFRARIA

20/11/2014 23:44

Oi Gurias!

 

Nós mulheres adoramos usar aquele ditado que diz: "não se faz mais homens românticos como antigamente" - para comentar alguma atitude masculina grotesca que alguns homens cometem por aí, não é mesmo?! 

Aí aparece um carinha que diz que escreve poesia (em pleno século XXI!), e nós logo pensamos: "só pode ser o último exemplar da raça"!

Mas para tudo agora, menina! Larga esse batom um pouquinho! Hoje recebi uma poesia escrita por um homem, que além de ser romântico, gentilmente nos enviou sua poesia para publicarmos no Blog. Depois de ler a crônica "tragimântica" (isso aí é tragédia romântica) escrita pela Cê aqui sobre os Homens e máquinas de lavar roupas, ele me escreveu e contou sobre seu poema que lembra essa comparação entre pessoas, amor, coisas do cotidiano... Só que ele compara a sua amada a uma música.

Como eu ainda não tenho um cantinho especial dedicado às coisas bonitas que vou receber de agora em diante (assim espero!), vou compartilhar aqui com vocês um pouquinho de:

 

COISAS DE GUILHERME

 

Foi como se você fosse minha música preferida

E eu te escutasse todos os dias de olhos fechados 
                

Você não sabe como era bom aumentar o volume e esquecer o mundo lá fora  

 

                           

Quando eu me sentia perdido, colocava você nos ouvidos

E não dava mais bola para sussurros ou rugidos

Você era meu melhor som, meu alivio


Já estava no meu top list da semana, do mês, do ano

Te coloquei eterna, te fiz de verdade

Te gritei, até ficar rouco e com tudo cansado 


Te levei no peito

Te cuidei e não queria te dividir com ninguém

Aquele momento bom era só meu 


Você em meus ouvidos completava totalmente minha rotina

Que com o tempo se tornou repetitiva

Calma demais, para um coração intenso como o meu…


De repente você era só uma rotina boa que não sabia mais meu gosto

Não sabia mais me agradar daquele jeito que eu aumentava o volume ao máximo

E eu simplesmente te guardei em lembranças boas …   

                         

 

Autor: Guilherme dos S. Ghilard

 

Gostaram, Gurias?! Eu gostei!

Tá aí, o Guilherme é a prova que "nem tudo está perdido nesse mundo"! 

 

Beijos, Cê!

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!